Paloma Bernardi – Capa da Edição 40

Paloma Bernardi – Capa da Edição 40

Compartilhe

O mulherão por trás do rosto angelical

Texto Camila Heloíse | Fotos Sérgio Baia

 

Natural de São Paulo, formada em Rádio e TV e em Artes Cênicas, Paloma Bernardi tem 29 anos e uma carreira de sucesso que começou em 1996. Namorando o ator Thiago Martins, que conheceu durante as gravações da novela Insensato Coração (2011), de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, a atriz coleciona papéis importantes em novelas veiculadas em horário nobre. Recentemente, ela estreou como protagonista do longa-metragem de comédia Lascados.

Com um olhar doce e o jeito de menina meiga, bastam alguns cliques e Paloma se solta, mostrando o mulherão que existe por trás do jeito de garota. Um olhar romântico e angelical que se mistura com seu charme e o jeito sedutor.

Com o passar dos anos, os telespectadores puderam acompanhar a evolução da atriz, que interpretou o seu primeiro papel na TV na novela Colégio Brasil (1996), no SBT.

Paloma passou a se destacar não só pela beleza, mas por sua incrível interpretação da personagem Mia, na novela Viver a Vida (2009), de Manoel Carlos na Rede Globo. Após conquistar o seu espaço, interpretou recentemente Rosângela em um papel desafiador na novela Salve Jorge, de Glória Perez e também veiculada na Rede Globo. A personagem Rosângela rendeu elogios a Paloma e marcou a primeira vilã interpretada pela atriz.

Dona de um corpo de dar inveja e com os cabelos vermelhos, Rosângela era uma aspirante a modelo de sucesso e, enganada por Russo, personagem de Adriano Garib, foi traficada para o exterior. Lá, Rosângela viveu em cativeiro com outras mulheres e acabou se tornando vilã e cúmplice da gangue que sequestrava homens e mulheres com a promessa de um futuro promissor.

Paloma confessa que interpretar Rosângela foi, até agora, seu maior desafio como atriz. “Justamente pela carga dramática e pelos nuances que ela viveu durante a novela toda. Foi um desafio para mim, como atriz e como mulher”, conta à Revista Ícone.

Paloma Bernardi (4)

Como foi dar vida à personagem? Sabia que era uma personagem intensa, com uma trajetória cheia de altos e baixos. Um grande presente e um grande desafio para mim. Mas, no decorrer da história, Rosângela ocupou um espaço maior do que imaginava e isso me deixou muito feliz, pois é o reconhecimento do meu trabalho.

 

Você teve contato com meninas e mulheres que viveram de verdade aquela situação como da personagem? Quando soube do convite, já comecei a ver algumas coisas. Participamos de palestras com famílias que perderam suas filhas, ONGs que abraçam a causa e delegadas que investigam esses casos. Fui a prostíbulos, assisti a filmes, li diversos livros sobre o tema e pesquisei o cotidiano dessas mulheres. Analisei a relação delas com os homens. Tudo o que tinha a ver com o assunto eu pesquisei para agregar na minha construção.

O que a Rosângela tinha em comum com você? A Rosângela tinha um sonho que infelizmente virou pesadelo. Me identifico com ela na persistência, na luta para realizar seus objetivos.

Depois de viver uma personagem intensa e envolvida em um cenário difícil, como você fez para se desligar dela quando a novela acabou? Eu acabei emendando um outro trabalho de universo totalmente diferente, isso foi ótimo para sair daquele meio pesado que vivi em Salve Jorge. Depois disso, aproveitei para viajar com as amigas e com o namorado. Descansei bastante e recarreguei minhas energias.

Que tipo de personagem gostaria de interpretar em uma próxima novela? Todo personagem que for dedicado a mim será um grande desafio e aceitarei de coração aberto. Como atriz, dar vida a diferentes histórias é sempre um grande presente.

Você começou a atuar por desejo próprio ou por influências? Minha família por parte de mãe sempre foi ligada à arte. Está no sangue, e segundo meu pai, eu não nasci e sim estreei (risos). Inclusive montamos o espaço cultural, o Amarte, na zona norte de São Paulo. Desde pequena meus pais me apresentaram a arte como uma forma de educação e hoje agradeço todo o incentivo e investimento, pois pra mim, arte é profissão e eu dedico a eles cada uma das minhas conquistas.

Qual o trabalho da Amarte? Resolvemos montar um espaço onde as pessoas pudessem se descobrir pessoas melhores através das artes. Nós acreditamos que a arte é uma forma de educação, é terapia, é lazer e pra muitos é profissão. No Amarte oferecemos para todas as idades aulas de dança, teatro, música, artes plásticas e artesanato.

 Você costuma se envolver em projetos e ações sociais? Sempre. Desde a minha infância dedico meu tempo aos que precisam. Visita a asilos, creches, café da manhã para moradores de rua, apoio a crianças com cancêr etc. Gosto de colocar a mão na massa, de me fazer presente mesmo no meio daqueles que necessitam, nem que seja de apenas um forte abraço.

 Ainda lembra como foi o seu primeiro teste para a TV? Faço publicidade desde os quatro anos de idade. Passei a minha infância fazendo testes. Lembro que o teste para minha primeira novela, “Colégio Brasil” foi bem marcante, pois estava triste e aquele sentimento me ajudou na hora de ser avaliada. Na hora o diretor disse: “Você já passou no teste, agora pode ir embora feliz”. Mas eu não saí do estúdio saltitando, para não magoar as outras meninas que ainda iriam fazer o teste.

É verdade que você se afastou da carreira artística quando era jovem por causa da aparência? Claro que não. Nunca deixei de viver a arte. Eu trabalhei muito dos quatro anos de idade até os doze anos. Fiquei muito marcada na mídia, na televisão e é importante dar um descanso de imagem. Esse período foi justamente a fase de transformação da menina para a adolescente. Aproveitei para estudar e fazer teatro. Foi uma fase de amadurecimento.

 Sobre o longa-metragem Lascados que você gravou, qual é a história do filme? O filme se passa na década de 90 e acompanha três garotos de mais ou menos 18 anos que moram em São Paulo, na Zona Leste, e que não querem de jeito nenhum passar o Carnaval na cidade. Eles querem mesmo é ir para Salvador. O problema é que eles não têm muita grana e ninguém do grupo tem carro. Então, a solução que eles encontram é pegar emprestada a Kombi de vender cachorro-quente da mãe de um deles, e viajar para Salvador com ela. O resto tem que assistir para saber (risos).

Você interpreta a personagem Cenilde, que também é a protagonista do filme. O que o público pode esperar da sua personagem? Cenilde é uma garota do interior que sempre dá um jeitinho para viver a vida intensamente. O publico pré-adolescente pode esperar muita diversão.

O que é mais difícil: cinema ou TV? Todo trabalho artístico será trabalhoso. No nosso meio, cada um tem seu universo, as suas dificuldades e exige uma total entrega, dedicação e um mergulho profundo. Eu sou assim em tudo o que faço. Mas acredito que no cinema, por ser uma obra fechada, conseguimos desenvolver um trabalho com mais cautela. Já na TV existe uma dificuldade maior, pois é uma obra aberta e tudo pode acontecer. Gravamos trinta cenas por dia fora da ordem cronológica da história. É uma maratona, um ótimo exercício para o ator.

 Você é considerada uma das atrizes mais belas da sua geração, o que faz para manter a forma? Ultimamente estou numa maratona, posso dizer que meu corpo está na melhor fase. Tenho feito musculação com meu personal Magno De Marco, aulas de boxe, MuayThai e como amo dançar, às vezes, faço uma aula de jazz e ballet. Focada no carnaval, tenho feito aulas de samba também.

 É verdade que você poderá assumir o lugar de Christiane Torloni na Grande Rio, no Carnaval 2015? A verdade hoje é que serei destaque de chão da Grande Rio e estou muito feliz com esse convite.  Agradeço o voto de confiança e será uma honra desfilar na Sapucaí representando uma escola de samba tão poderosa. Farei de tudo para fazer um lindo desfile com muito samba no pé.

Aceitaria convites para posar nua? Não aceitaria.

 Quais os planos para 2014? Estou ensaiando a peça Orfeu da Conceição, com a direção de Marcelo Airoldi. No segundo semestre lanço o filme Lascados e rodo outro filme, o TPM. Meu plano de vida sempre será fazer arte, viver da arte e ser feliz através da arte.

Saiba Mais

A peça Orfeu da Conceição é um texto de Vinicius de Moraes, baseado na história grega de amor de Orfeu e Eurídice que desafia a própria morte. Paloma também já esteve no elenco de grandes peças como Dom Quixote, Romeu e Julieta, Máscaras, de Menotti del Picchia, e Despertar na Floresta, de Caetano Martins.

O filme Lascados foi dirigido por Vitor Mafra e produzido por Marcelo Braga. O elenco também conta com Chay Suede, José Trassi e Paulo Vilela, e as gravações ocorreram entre os meses de junho e julho de 2013.

O Amarte Espaço Cultural foi idealizado pela artista plástica Dil Bernardi, junto com as filhas Paloma Bernardi e Rayssa Bernardi. É um centro integrado de artes que oferece cursos, workshops e saraus. A sede fica na Avenida Nova Cantareira, 961 – Tucuruvi/São Paulo.

Compartilhe

COMENTAR

Deixe seu Comentário