O que estamos levando?

O que estamos levando?

Compartilhe

Por Juliano Matos | Jornalista e Palestrante

Da janela da minha sala tenho uma visão ampla e privilegiada. De um lado, prédios, avenidas movimentadas, muitos veículos e gente apressada, indo e voltando todos os dias. Do lado oposto está a linha férrea que corta a cidade.

 Todos os dias os trens passam bem pertinho de casa. Confesso que no começo o barulho estrondoso me incomodava um pouco, mas hoje já me acostumei e até gosto de observar a passagem das enormes composições.

São muitos vagões. Às vezes fico imaginando se estão cheios ou não. O que estão levando? Pra onde estão indo?

Se a vida fosse um trilho e nós vagões, estaríamos cheios ou vazios? É fácil saber quando um vagão está vazio. Sem nada dentro, ele acaba fazendo muito mais barulho. Pessoas vazias, mesmo que não tenham nada a dizer, acabam falando mais do que deveriam.

Mas, pior do que ser vazio é estar cheio do que não acrescenta nada. Inveja, mágoas, ressentimentos e até ódio são cargas que pesam muito e, que além de atrasar a viagem, prejudicam o próprio vagão.

O que estamos levando? Atualmente, a maioria dos vagões transporta dois tipos de cargas que são indispensáveis no nosso dia a dia: comida e combustível. Será que estamos cheios daquilo que é capaz de saciar e motivar outras pessoas? Você tem levado alegria, amor, paz e esperança?

E para onde estamos indo? Ah, isso varia muito! Sozinho, o vagão não vai a lugar algum. Seja atrás ou na frente, é necessária uma força maior para movê-lo. E essa força muda de acordo com a carga que ele está levando.

Para entender qual o destino final de um vagão, primeiro é preciso saber do ele está cheio e qual o tipo de Locomotiva ele está ligado.

 www.julianomatos.com.br

Foto: divulgação

Compartilhe

COMENTAR

Deixe seu Comentário